Terror na Suécia

O leitor “mjv” chama-nos a atenção para um vídeo interessante, sobre o clima de insegurança que se vive na Suécia, cortesia do seu governo feminista-marxista (perdoem a redundância), ainda por cima debaixo de uma lei da rolha.

Mariana Mortagua e Catarina Martins
Pelo menos já temos uma ideia do que nos espera se continuarmos a dar trela a estas putas.

O Patriarca não usou o link do leitor, mas sim o link original da Fox News. O vídeo é essencialmente o mesmo, menos uma breve introdução.


Siga-nos no Facebook!

Brevemente na baixa lisboeta

Via Observador

(…) cidadão paquistanês em causa, proibido de circular no espaço Schengen como consequência de uma medida aplicada na Noruega.

(…) A inspetora da delegação de Alverca do SEF terá ignorado esse alerta e atribuído o visto de residência, abrindo, na prática, as portas do espaço comum de circulação a um homem que estava proibido de aceder a esse privilégio.

As mulheres não podem ser encarregues de guardar as fronteiras. Esta gaja ou teve pena ou tem fome de picha bárbara, seja qual for o móbil o resultado é o mesmo.

Entre os inspectores serem poucos e sabotarem o serviço, não deve tardar muito até termos um banho de sangue em Portugal.

refugees welcome

Os atentados agora são “atropelamentos”

É só um atropelamento. Nada para ver aqui. Keep calm and carry on.

O comandante Russell Barrett, da polícia do estado de Victoria, ao qual Melbourne pertence, anunciou numa curta conferência de imprensa que existem razões para crer que o atropelamento foi “deliberado”. Contudo, que ainda não se sabe se tratou de um ato terrorista. “Nesta altura, acreditamos que foi um ato deliberado. Contudo, ainda não sabemos qual foi motivação e a investigação ainda vai no início”, disse o comandante.

O Patriarca arrisca afirmar que basta saber o nome do condutor para se poder concluir a investigação. Há de chegar o dia em que estará errado. Mas esse dia não vai ser hoje.

Ahhh, a ironia


P.S. Novas informações que surpreendem… absolutamente ninguém:

The driver of a car that was driven at pedestrians in a deliberate act was a 32-year-old Australian citizen of Afghan origin


P.S.2 Por cá, não descansam enquanto não tivermos um massacre na baixa lisboeta.


Siga-nos no Facebook

#BemVindasGatasRefugiadas

O Patriarca não pretende de maneira nenhuma tornar-se um papagaio do Chateau Heartiste. Mas há de facto boas ideias por ali que merecem ser propagadas.

Ora bem, um dos argumentos para importar hordas de bárbaros do sexo masculino é a baixa taxa de natalidade dos Portugueses (e do restante mundo ocidental).

Alguns dos motivos mais importantes para essa baixa natalidade são facilmente identificáveis: gordas alucinadas que não percebem que são intragáveis, harpias pedofóbicas, feminização dos homens e a estratégia de montar o carrocel das piças e pensar que no fim encontram um Beta à espera (spoiler: muitas não encontram).

Seguindo esta linha de pensamento, introduzir em barda homens provenientes de culturas misóginas poderá não ser a melhor opção, dado que o principal método de cortejo destes é a violação (o argumento de que é precisamente isto que as feministas desejam, nem que seja subliminarmente, será guardado para outro post).

Um caminho diferente

Mas importar mulheres destes países… Como poderão as harpias negar as vantagens desta estratégia? Por um lado são umas analfabetas subservientes, e como tal não são competição para mulheres fortes, independentes e educadas. Ficarão com os Betas que elas não querem. Por outro como estão habituadas a ser oprimidas, podem dedicar-se à procriação deixando as restantes livres para se dedicar à carreira até à esterilidade. E estão a salvar membros da irmandade venusiana das garras do pior patriarcado de todos, a Sharia! É só vantagens!

E para os homens, tantas possibilidades de escolha!

hot syrian 1
Um olhar doce e feminino?
Mariana Mortagua e Catarina Martins.jpg
Ou umas cabras rezingonas mulheres fortes e independentes?
refugiadas
Mulheres que se esforçam para agradar oprimidas?

(Até a gorda da imagem acima ao menos esforça-se)

galderias.png
Ou galdérias?
Hot refugee
Iletradas subservientes?
paula cosme pinto
Ou mulheres fortes e independentes?

O mundo está escandalizado! Os instagrams são apagados! Mas não há como calar esta ideia!

gatas sirias.png
#BemVindasGatasRefugiadas