Globos de Ouro – O macho português ainda está vivo

Em mais uma noite de caça ao homem, a choraminguice deu resultado e as quengas levaram os prémios.

No entanto O Patriarca constatou com satisfação a testosterona presente nos comentários.

USA no bom caminho.
O próximo passo será a eleição de uma ‘presidenta’ negra.
Do lado de cá do atlântico consuma-se o Brexit e passo seguinte será um edição contemporânea do ‘bloqueio continental’.
Porque, quanta à Europa, qualquer prognóstico só pode ser negro ou sombrio!
E segue-se o quê? 
Aceitam-se apostas …
E a China a esfregar as mãos de contente!
Alexandre Novais
De facto, um título parcialmente adequado. Foi uma noite verdadeiramente negra e que deveria envergonhar qualquer ser humano decente, seja quem for.
A discriminação abusiva, preconceito e racismo puro, contra os homens (brancos, heterossexuais, cristãos, não de esquerda) já se tornou perfeitamente assumida, descarada mesmo, precisamente por quem sempre clamou – e justamente – contra mau trato similar.
Para completar, o mundo que deveria ser civilizado faz eco e amplifica, como é exemplo a Rita Cipriano e o (em nome do) Observador.
Nojento e vergonhoso.
Elas e eles que metam os prémios onde estes melhor caibam e onde aqueles e aquelas mais gostem.
André Silva
Pegas em novas, senhoras em velhas. Toda a vida fizeram carreira na horizontal, num dos meios mais promíscuos e permissivos de que há memória e agora apressam-se a apresentar-se como virgens virtuosas. Que vergonha. 
Jay Pi
Abriu, então, a caça ao macho branco. Nas antigas colónias africanas, quando os europeus foram corridos, não eram tão selectivos, chacinavam tudo o que fosse branco: de galinhas, a porcos, passando por cães, gatos, vacas ou seres humanos, tudo o que fosse branco era para levar catanada, independentemente do sexo. Os talibans do politicamente correcto são mais selectivos: o problema deles é mesmo só com machos brancos.
Diogo Mendes
Pegas de preto
Victor Guerra
Rameiras das mais reles…
Jay Pi
sao premios politicos e comerciais, valem zero 
e agora discriminam abertamente os homens brancos por associacao 
John Silk
Que surpresa… politizar estas coisas depois só tira valor às vitórias das mulheres. Fico na seria dúvida se isto foi mesmo merecido ou simplesmente uma resposta aos “boicotes” e protestos.
João Sousa
Fica na dúvida… já não é mau, ainda fica um pouco para desfrutar um pouco da coisa.
A realidade nua e crua é que os últimos óscares foram o que foram em resultado da campanha pro-racista que se fez antes e os globos ontem foi o que se viu.
Imagino que estes prémios sempre tiveram uma grande componente comercial e como tal alguma fragilidade no seu valor e significado mas actualmente valem mesmo zero.
Nem sequer bons e divertidos monólogos de abertura. Agora é só ressentimento e ódio.
Helder Antunes
Estes são literalmente a totalidade dos comentários à hora da publicação deste post. A masculinidade portuguesa está bem e recomenda-se.

 


Siga-nos no Facebook!

Tudo putas

Pelos vistos tocar num joelho já é considerado abuso sexual.

Portanto parece que chegou a altura de ir às últimas consequências. Se qualquer acção física que um homem possa ter relativamente a uma mulher é equiparável e condenável como um acto sexual, o simples corolário que se pode retirar daí é que qualquer tentativa de uma mulher tirar partido do corpo para influenciar os homens à sua volta é equivalente a vender sexo. E quem faz isso tem um nome.

Puta.

Usar, em contexto profissional, de qualquer roupa que mostre ou realce cu, mamas, perna, umbigo, ombros, qualquer coisa que possa ser atraente para um homem, é ser puta.

claudisabel
A puta canta muita bem…

Demasiado óbvio? Já toda a gente lhe chama puta? Não há problema, prosseguimos.

rita ferro rodrigues decote
Quer ser a chefe das feministas, mas fez carreira a mostrar as mamas… puta
cancio decote
Queres homens com medo? Tapa mas é as mamas, puta
barbara guimaraes decote
Esse decote é para os polícias não te mandarem soprar no balão, puta?
joana amaral dias puta.jpg
Não queres ser apoucada? Veste-te, puta.
ana drago decote
Se tapasses as mamas como tapas as orelhas, puta
Rita Rato decote
Vai mostrar as mamas para um Gulag, puta
isabel moreira decote
Isso é maneira de estar no Parlamento, puta?
catarina martins decote
Não se sabe qual será o público mas… puta
mortagua decote.jpg
O Patriarca admite que a sapatona não lhe facilitou a vida mas… puta

Ah e tal O Patriarca só malha em gajas de que não gosta. Não seja por isso, também se pode malhar em símbolos nacionais!

Teresa-Salgueiro-decote
Anda cantar. Tu cantas bem. E tapa as mamas, puta.
rosa mota
Tens calor, puta?
fernanda ribeiro
Mas tu nem tens mamas para mostrar, puta
amalia
O Salazar deixa-te sair assim à rua, puta?

Este artigo não é para as feministas. Essas estão para lá de toda a razão. Este artigo é dirigido a mulheres que possam estar em risco de infecção pela perniciosa ideologia, para que pensem muito bem no que se está a fazer com a actual caça ao homem. Quanto mais longe for a insanidade, pior será a inevitável reacção.

É também para os homens que gostam de ver mulheres livres pela rua, vestidas de forma sexy, e a quem possam deitar a mão. Que não se deixem arrastar na conversa, e que assumam com orgulho que cortejar mulheres faz parte de ser homem.

Infelizmente O Patriarca começa a perceber de onde é que vem a Sharia e as burkas. E se calhar os mouros é que têm razão.

 

 

O pénis de Bruno Maçães

O Patriarca sabia que não ia tardar muito que se importasse a Histeria Weinstein para terras lusas. Afinal de contas, ainda não se conseguiu erradicar os homens da política e implementar um governo 100% vagina pronto a vergar-se ao viril membro islâmico. Há muito homem para deitar abaixo a caminho da utopia feminista.

governo feminista

Mas tal como o gajo que não fode há um ano, quando finalmente deita a mão a uma gaja se arrisca a, de tanta ânsia, esporrar-se-lhe às bordas da cona, também os abutres cá do burgo tiveram um precoce orgasmo colectivo com um assunto que afinal era pouco mais que uma roçadela na glande.

Parece que um gajo com ar de choninhas mandou umas fotos do pífaro leiteiro a uma jornalista. Parece que as mensagens eram ameaçadoras. Parece que era Secretário de Estado dos Assuntos Europeus, na altura. Das “direitas”, ainda por cima. Um alvo perfeito, a esquerda em histeria.

Afinal a gaja em questão nem valoriza a questão por aí além e a história toda não passa de uns comentários com uns amigos que lhe explodiram na cara. E as mensagens “intimadatórias” afinal eram “creepy”, palavra para a qual não existe equivalente exacto em português (e ainda bem).

Falsa partida para a histeria do #metoo em Portugal, portanto. Aguardam-se cenas dos próximos capítulos.