Já temos instagram!

Caros leitores, criámos uma página de instagram. É uma questão de tempo até nos bloquearem definitivamente no facebook, portanto criámos mais um meio de propagarmos a nossa mensagem.

Se já usam a app, sigam a nossa página, porque nós vamos sempre mantendo-a actualizada com as novas entradas e alguns posts mais antigos que merecem ser mencionados. Assim será mais fácil para vocês estarem a par das notícias do vosso blog favorito.

Quem não tem a app ainda, instale que aquilo é giro, dá para por instastories como no snapchat e tudo, há montes de páginas com memes de mijar a rir…

Para quem não tem a app e quer saber do que se trata, a versao em site do instagram é menos completa, mas deixo o link em baixo. Para os que a têm podem encontrar-nos pelo nome de utilizador redondatavola.

https://www.instagram.com/redondatavola/?hl=pt

Obrigado por todo o vosso apoio.

 

O Respeito não existe

O respeito não existe. Não como o apresentamos. Talvez em relações – amorosas, de amizade ou familiares – que existam há anos, onde o outro chateado já não incomoda o nosso sossego, talvez aí ele exista. De resto, aquilo que ordinariamente apelidamos de respeito, na verdade é só medo.

Nós somos seres humanos e a nossa natureza diz-nos que, enquanto indivíduos, somos prioridade. O respeito, no seu sentido mais puro, é um acto egocêntrico, o que significa que assumi-lo é ir contra a nossa natureza. No entanto, demonstramos aquilo que se aparenta com respeito todos os dias. Porquê?

A nossa linhagem enquanto seres vivos criou no nosso cérebro um padrão de sobrevivência baseado em emoçes, o que faz com que as nossas decisões sejam tomadas através das emoções que sentimos.

Explicados este dois pontos, podemos concluir que se agimos tanta vez contra a nossa natureza é porque temos outra regra a dirigir as decisões: as emoções, neste caso o medo. O medo de ao tomar qualquer outra decisão, causarmos incómodo na outra pessoa e por consequência, perdê-la. No fundo, respeitar alguem significa saber o valor que o outro tem e ter medo de perder essa pessoa.

É por esse motivo que o respeito tem de ser ganho, porque não é verdadeiramente um gesto altruísta, é um gesto de medo. Por isso é tão importante marcares desde cedo os teus limites e chateares-te com quem os pisa, para saberem que há uma recompensa negativa em voltar a pisá-los. Porque sem o medo não há respeito.

P.S.: quando dizem “não é medo, é respeito” é medo.

Chauvinista do Mês #4 – O segurança anónimo do Algarve

Nota prévia: relembrando que O Patriarca considera o feminismo o maior flagelo que assola a sociedade actual, é importante realçar que não há nada de pejorativo neste prémio. O Chauvinista do Mês é um galardão de honra que O Patriarca (e outros membros da Távola que assim o entendam) atribui a quem vê a realidade em geral, os choques culturais e as dinâmicas intersexuais tal como elas são, e tem os tomates de ferro necessários para, por palavras ou acções, apregoá-lo em público.

Ainda o mês de Agosto mal tinha começado e já havia um sério candidato à distinção.

Alegadamente, um orgulhoso patriota porco misógino racista xenófobo correu com umas “britânicas”.

Antes de mais, vamos lá ver uma coisa.

english lacrosse female team
Britânicas

Isto são britânicas.

not british
“Britânicas”

Isto não são britânicas. Isto há uns anos podia, vá, ser considerado uma família de imigrantes de 2ª geração, mal aculturados. No contexto actual de Jihad aberta, quando não literal e explosiva, pelo menos cultural, é um grupo de infiltrados.

Não sabemos se o caso é real, ou uma confabulação das mouras. Para a discussão pouco interessa. No entanto, O Patriarca espera que seja verdade. Num ambiente de uma saudável relação entre diferentes povos, uma atitude destas seria um pouco descabida. Não estamos nesse ambiente. Estamos no meio de uma guerra cultural, e a guerra é ganha por quem melhor sabe defender-se e contra-atacar.

Aparte final, para uma noção de onde isto vai: a mesma pesquisa por “british women group”, no Duck Duck Go ou no (((Google))). Agora pensem.

 

Obras no blog!

Caríssimos leitores, estamos a fazer uma migração do blog de modo a melhorá-lo. Queremos alertar-vos que alguns comentários e gostos dados durante esta semana possam ter-se perdido assim como a página pode demorar um pouco mais que o normal. Muito brevemente teremos tudo resolvido. Aproveitamos já para vos agradecer o apoio que nos têm dado. Obrigado.