Os músculos são universalmente atraentes

O Patriarca ia fazer hoje o follow-up a este post: razões em geral para puxar ferro. Ficará para outro dia – o tempo é escasso, e este artigo é suficientemente relevante para justificar a sua própria entrada. Já tinha sido referido superficialmente aqui. Desenvolvamos.

Cues of upper body strength account for most of the variance in men’s bodily attractiveness

Aaron SellAaron W. LukazsweskiMichael Townsley

Abstract

Evolution equips sexually reproducing species with mate choice mechanisms that function to evaluate the reproductive consequences of mating with different individuals. Indeed, evolutionary psychologists have shown that women’s mate choice mechanisms track many cues of men’s genetic quality and ability to invest resources in the woman and her offspring. One variable that predicted both a man’s genetic quality and his ability to invest is the man’s formidability (i.e. fighting ability or resource holding power/potential). Modern women, therefore, should have mate choice mechanisms that respond to ancestral cues of a man’s fighting ability. One crucial component of a man’s ability to fight is his upper body strength. Here, we test how important physical strength is to men’s bodily attractiveness. Three sets of photographs of men’s bodies were shown to raters who estimated either their physical strength or their attractiveness. Estimates of physical strength determined over 70% of men’s bodily attractiveness. Additional analyses showed that tallness and leanness were also favoured, and, along with estimates of physical strength, accounted for 80% of men’s bodily attractiveness. Contrary to popular theories of men’s physical attractiveness, there was no evidence of a nonlinear effect; the strongest men were the most attractive in all samples.

É raro encontrar-se um efeito tão marcado. Milhões de homens eloquentes choraram.

O Patriarca partilha da opinião de que o aspecto físico não é o factor mais importante na atractividade de um homem. No entanto só um tolo afirmaria que não tem um peso considerável. O homem que queira ser completo, deve esforçar-se por maximizar as três áreas importantes: Game, Dinheiro/Status, Físico.

O que é engraçado é ver os nerds a estrebucharem com este achado. Quando na realidade são boas notícias. Não podes controlar a tua altura, mas isso vale menos de 10%! O típico homem que se queixa da lotaria genética o ter feito baixo e feio, e bota nisso a culpa do seu insucesso com as mulheres pode, munido desse conhecimento, meter-se no ginásio e manipular fortemente a seu favor a sua atractividade corporal.

Não menos interessante é o insight que esta informação nos dá sobre a cortina de fumo que as mulheres montam em torno da sua sexualidade.

“We weren’t surprised that women found physically strong men attractive… what did surprise us was just how powerful the effect was,” lead author Aaron Sell told The Guardian.

“Our data couldn’t find even a single woman that preferred weaker or feminine male bodies.”

Se era preciso mais evidência sobre o que O Patriarca vai repetindo vezes sem conta neste espaço de verdade – que as mulheres mentem com quantos dentes têm relativamente ao que as atrai num homem – aqui está ela. 100% das mulheres que dizem que os músculos não as atraem estão a mentir. E já todos ouvimos essa conversa.

Citando-se a si próprio:

As mulheres são uma fonte de informação valiosa sobre a sua própria sexualidade, mas qualquer pergunta directa leva a respostas que não passam de um misto de racionalizações, cortinas de fumo e clichês socialmente aprovados que não servem absolutamente para nada. As pérolas de verdade obtêm-se através de perguntas tangenciais – por exemplo, como é a sensação de excitação sexual?

Este artigo é um exemplo perfeito. Pergunta às mulheres se preferem corpos musculados ou o chamado “dad bod” e a resposta é a que a maioria dos homens quer ouvir:

sondagem dad bod

Faz a pergunta tangencial – pede-lhes para classificar os corpos – e obténs algo mais próximo da verdade.

Está nas tuas mãos. Vais continuar a lamuriar-te ou vais pegar no ferro?

 

 

O Engenheiro e o sapo

Um engenheiro estava a passear quando um sapo se dirigiu a ele e disse “Se me beijares, transformo-me numa linda princesa”.

Ele pegou no sapo e meteu-o no bolso.

O sapo falou novamente e disse, “Se me beijares e me transformares novamente numa princesa, serei tua namorada”

O engenheiro tirou o sapo do bolso, sorriu-lhe e voltou a metê-lo (heh) no bolso.

O sapo voltou a falar e disse, “Se me beijares e me transformares novamente numa princesa, caso-me contigo”

O engenheiro tirou novamente o sapo do bolso, tornou a sorrir-lhe e a metê-lo no bolso.

Finalmente o sapo disse, “Qual é o teu problema? Sou uma linda princesa! Porque é que não me beijas???”

O engenheiro respondeu, “Pá, sou um engenheiro muito ocupado. Não tenho tempo para namoradas nem esposas, mas um sapo que fala é fixe p’ra caraças!”


Comentários d’O Patriarca:

  1. Esta história tem uma importante lição de frame para todos os homens
  2. A parte geralmente não contada da anedota: o engenheiro finalmente acede a beijá-la quando ela promete fodê-lo quando ele quiser sem lhe chatear o juízo.

A fisiognomia é real #2.5

O curador do instagram da Távola, o excelentíssimo Lince, descobriu o instagram da criatura que quer moda sem género.

Entretanto O Patriarca já leu o artigo. Ainda tinha expectativa de encontrar algum argumento mais duro de roer, mas não. É mesmo só bosta. Talvez se dedique posteriormente uma análise mais profunda se estiver aborrecido, mas é duvidoso.

A fisiognomia é real. Poupa tempo. Assume que tudo o que sai da boca de uma aberração é aberrante.

A libélula tornou a sua conta privada assim que foi mencionado no nosso insta, mas O Patriarca ainda sacou umas imagens. Divirtam-se!

Mauro Goncalves 1
Tens uns bonequinhos engraçados!
Mauro Goncalves 2
Ainda podia passar só por um gajo de mau gosto e má linguagem corporal
Mauro Goncalves 4
Mas não, é mesmo mariquita.
Mauro Goncalves 3
Já nem as pitas usam essa pose, meu!
Mauro Goncalves 5
Foge, foge, bandido

Fertilidade Defraudada

Nem de propósito, o Château Heartiste chamou a atenção para um artigo que é um follow-up perfeito para “Fertilidade Esbanjada“:

The struggle to conceive with frozen eggs

Brigitte Adams became the poster child for freezing your eggs. But things didn’t quite work out how she imagined.
TL;DR – Mulher Forte e Independente™ congela uns óvulos aos 38 anos. Gasta $19.000. Aos 45 ainda não arranjou um alfa que a sacasse do carrocel das piças bom candidato a pai e decide ser mãe sozinha. Os óvulos estavam quase todos estragados, só se aproveitava um. Não pegou.

She remembers screaming like “a wild animal,” throwing books, papers, her laptop — and collapsing to the ground.

“It was one of the worst days of my life. There were so many emotions. I was sad. I was angry. I was ashamed,” she said. “I questioned, ‘Why me?’ ‘What did I do wrong?’ ”

O Patriarca não se vai alongar sobre o assunto. O Heartiste já disse tudo.

Por um lado, estas companhias deviam ser expostas como as fraudes que são. Por outro, estas burras estão desejosas de serem enganadas e esta é simplesmente a resposta do mercado.


P.S. Enquanto procurava a imagem para o cabeçalho do artigo, O Patriarca descobriu que a culpa é dos homens.

A fisiognomia é real #2 – moda sem género

Hoje O Patriarca vai correr um risco. Há umas semanas deparou-se com este artigo. Como os leitores regulares adivinharão, o título provocou-lhe logo um desagradável frisson. Mas ao ver a fisiognomia do autor, foi tomado de uma certeza: não vai sair nada de jeito daqui. Portanto tomou a decisão de guardar o escrito para ler mais tarde, e dedicar-se antes a escarnecer da Amelita Falóide que o debitou. Expõe-se a fazer figura de urso caso a diatribe tenha argumentos relevantes, mas tal é ainda mais improvável quando o autor se apresenta assim:

Quando escrever é uma necessidade quase fisiológica e o gosto por andar sempre em cima do acontecimento difícil de contornar, ir para jornalista é mesmo o melhor remédio. Nunca tive um blogue (até ver), mas a moda e os seus meandros foram sempre os temas que mais latim me fizeram gastar. Durante cinco anos não larguei as páginas da revista Time Out Lisboa. Entretanto, a cidade ficou pequena para tanta prosa. Agora, é discorrer para o país e para o mundo, sobre moda, design, estilo e gente criativa, e, tal como num desfile, sempre na primeira fila.

mauro goncalves
Quanto é que apostam que nessa boca só entra piça e só sai merda?

O Patriarca lamenta a qualidade da imagem, mas é a única que conseguiu encontrar da patética criatura. Se algum leitor tiver a gentileza de partilhar outra, será adicionada.

A moda nunca será sem género por um período significativo de tempo porque os seres humanos saudáveis exibem polaridade sexual, sempre a exibiram, e vão continuar a exibir. Se ocasionalmente surgem modas fugazes que buscam através de vestes andróginas amenizar este facto imutável, é essencialmente por dois motivos.

  1. A moda é maioritariamente criada por abafadores de cacete.
  2. A moda é maioritariamente consumida por mulheres, que são animais de rebanho frequentemente invejosas de pila. Ah, e por abafadores de cacete*.

Por isso, os desvios dessa normalidade são promovidos por degenerados e consumidos por harpias, mas logo o inexorável mercado sexual se encarrega de corrigir estas tendências.

Os leitores que num momento de fraqueza se sintam compelidos a alinhar em rabicharias que estão na moda poderão ser salvos por esta certeza.


*”Ah mas os homens elegantes!”, contestarão alguns. Não é preciso ser paneleiro para ser elegante. A diferença é que estes homens geralmente não andam a reboque da moda. Escolhem o seu estilo razoavelmente intemporal e vão-lhe fazendo pequenos ajustes.

Provocação Constante # 8: Obrigada

Provocação Constante é uma série em que O Patriarca partilha algumas das pequenas provocações que vai fazendo à sua noiva. Estudiosos de Game e Red Pill sabem que o teasing (provocação) é essencial tanto para o jogo do engate como para a manutenção da tensão sexual dentro de uma relação. Os betas pensam erradamente que arreliar as miúdas lhes pode trazer problemas, quando é precisamente o contrário. Esta série pretende dar exemplos práticos disso mesmo. Always Be Teasing!

Às vezes, a resposta certa a um “Obrigada” quando fazes um favor à querida, não é “De nada”. Às vezes é uma mensagem assim:

obrigado nada

Bónus se o fizeres enquanto ela está numa reunião, e te responde “como é que podes ser tão porco?” e “dei uma gargalhada alto por tua culpa!!”.

Os leitores d’A Távola Redonda sabem o que isso quer dizer.

O Manspreading chega a Portugal

O Patriarca foi acusado de “manspreading” num transporte público em Portugal.

É verdade, já importaram mais um dos chavões com que se vai tentando castrar a masculinidade.

O Patriarca estava tranquilo no seu assento, lendo algo no seu telefone esperto. Recorda-se vagamente de alguém ter ocupado o lugar ao seu lado, embora isso só tenha sido consciencializado pelo que se passou a seguir – dado que nem sequer houve contacto físico.

Até que uma velha gaiteira no assento da frente decide tocar o joelho do vosso chauvinista favorito para lhe chamar a atenção. Olhando para trás, isto devia ter justificado a activação do sistema de alarme do metro, e posterior denúncia às autoridades por assédio sexual de uma sexagenária a um jovem atraente. “Olhe lá, encolha-se um bocado, não vê que a menina nem se consegue sentar?”

O Patriarca levantou a cabeça e analisou a situação. Estava na sua posição normal, pernas moderadamente abertas, deixando o espaço necessário para alojar confortavelmente as pendentes gónadas que ainda não deixaram de produzir testosterona por decreto ou leite de soja. Admitidamente estava a cruzar milimetricamente a linha que divide os assentos. A harpia grisalha fitava-o com o ar desafiador apenas permitido às mulheres ocidentais do século XXI, esperando uma reacção. A jovem ao lado estava na sua, na posição tipicamente feminina* de quem não está a convidar todas as piças da carruagem a vir dar uma voltinha.

Com a civilidade que infelizmente ainda lhe resta, o nosso alastrado herói declinou mandar a caduca megera à merda e em vez disso recolheu a perna os milímetros suficientes para caber na caixa imaginária que lhe estava destinada.

Como sabemos, esta não é a atitude mais eficaz perante marxistas.

“Olha, nem se mexeu! Dê lá espaço à menina!”

Nisto a jovem intervém, “Não há problema nenhum, deixe estar”

A decrépita abelhuda volta à carga “Então mas acha isto bem, está ali com as pernas todas abertas!”

O Patriarca, sem se mover nem mais um milímetro, fita a criatura e diz, “Meta-se na sua vida. Eu não estou a ocupar mais que o normal, e a rapariga não se está a queixar”. Volta ao que estava a fazer.

A jovem reforça que não há problema. A velha ainda ladra mais qualquer coisa, mas perante a indiferença geral acaba por se calar.


*Antes dos acordes na internet, havia o saudoso Eurico A. Cebolo com os seus livros “Guitarra Mágica”, que entre outras coisas ensinava a maneira apropriada de sentar para tocar, consoante o aspirante fosse homem ou mulher. O Patriarca tentará encontrar a cópia que possui e postar as imagens respectivas.