Deve ser feminista

O Patriarca apercebeu-se recentemente de um método de guerrilha que tem vindo a praticar inconscientemente já há algum tempo.

Já foi dito aqui que o anti feminismo é, nas palavras dos saudosos Mamonas Assassinas (curiosamente, uma banda que talvez não pudesse existir hoje), uma faca de dois legumes.

De facto, se por um lado esta vertente do marxismo é uma espécie de cancro que justificaria uma guerra aberta por parte de todos os homens com testículos funcionantes e mulheres com uma réstia de feminilidade; por outro não é menos verdade que a doença está de tal forma disseminada que faz mais sentido para aqueles que lhe escaparam, não só funcionar à sua margem, como aproveitar-se da vantagem competitiva que a vida baseada na realidade traz relativamente aos imbecis que se encontram enterrados na dissonância cognitiva necessária para subscrever o dito sucedâneo comunista.

Por outras palavras, o homem masculino e a mulher feminina destacam-se positivamente de tal maneira no mar andrógino dos dias de hoje que preocupar-se com o problema é algo contraproducente.

No entanto, há algo que acontece quando abrimos os olhos para a realidade: tendemos espontaneamente a verbalizar o dissidente ponto de vista.

Assim, já há algum tempo que O Patriarca ganhou o hábito de, quando vê uma fêmea obesa, com cabelos aberrantes, roupas masculinas, comportamentos agressivos, opiniões bizarras e outras características frequentemente presentes em harpias, comentar “deve ser feminista”.

Resultado? A respectiva, que num date precoce afirmou ser feminista (como a maioria das tontas que não sabe o que isso significa), actualmente pode ser frequentemente ouvida a dizer algo como “feministas de merda”.

Aliás, isto serve não só para apontar “mulheres” disformes, como para todo o tipo de desviantes que invariavelmente se identificam com a causa. Afinal de contas, a fisiognomia é real.

Chris Bourg butch dyke
Deve ser feminista
ana teresa
Deve ser feminista
Pedro Schacht Pereira
Deve ser feminista
paula cosme pinto
Deve ser feminista
miss traveca
Deve ser feminista

O Patriarca desafia os leitores a adoptar esta atitude no seu dia a dia. Além de ser um alívio para a alma, quem sabe o efeito que alguns milhares de realtalkers poderiam ter na sociedade em geral?

5 comentários em “Deve ser feminista”

  1. Fizeste-me lembrar uma agora:

    ” some tatted up fat girl flaunting her body …
    shaking her ass with a glass of Bacardi
    Disgusted I went over and told her to split …
    Dumb ho called me a chauvinist pig
    said some communist shit that I couldn’t believe
    So I grabbed the stupid bitch by her red colored weave
    She claimed she was a feminist, wouldn’t you know?
    Reached back like a pimp, slapped the ho
    Her commie friend jumped up and he started to shout
    So I threw a right cross and knocked his gay ass out”

  2. Abriu um quiosque num dos bairros mais pobres e também turistificados da cidade. O empregado é panilas e excessivamente cordial. A empregada não usa soutien, tem o cabelo curto, pintado de azul, e usa roupas masculinas. Ambos têm imensas tatuagens. E é tudo sintomático, entre outras coisas, de quem são as pessoas que trabalham como empregados de quiosques para turistas.

    Agora tocas num ponto que acho extremamente relevante e que ainda não consegui elaborar de forma adequada. Que é o dos beneficiários do feminismo.

    Desengane-se quem achar que o feminismo protege as mulheres. A sua maioria ficará a perder: as mulheres que deixarão de ser abordadas porque os homens têm receio em prejudicar-se, as tipas que para combater fatshaming vão virar baleias, tatuar-se, cavalgar o carrossel das piças, aderir a movimentos… no fim das contas tudo isto as prejudicará mais do que beneficiará. São carne para canhão. Quando se aperceberem de como foram usadas, já será tarde de mais para fugir ao destino de serem achadas enforcadas no meio de 40 gatos.

    Mas o feminismo também não ataca os homens alfa. Ataca os homens beta. Aliás, o suporte ideológico do feminismo é a hipergamia, a vilificação do beta. Embora como agente passivo, o alfa, fica a ganhar – como escreveu o Roissy “Feminism has been very, very good indeed for men who want to play the field, and have the skills to do so. A return to patriarchal norms would really cramp my style.”. Alguns dos promotores do feminismo beneficiam diretamente do mesmo. É pensares como José Sócrates – o tipo que legalizou o nudismo e o casamento gay ou impôs a lei das quotas, liderou sempre as urnas no voto feminino, foi escolhido como o homem mais sexy do país, foi beneficiado pelas Capazes (do qual é o fundador moral) e usou o argumento da paridade para afastar adversários internos.

    Mas o Markl também promove o feminismo. Sai beneficiado? Não. Sai prejudicado. E se é muito difícil convencer os Alfas a enfrentar o feminismo (e perderem privilégios), consegues derrubá-lo se unires os betas nessa luta. É por isso que deposito mais fé nos Incels et al, do que em quem actualmente é beneficiado pelo sistema

Deixar uma resposta