O Engenheiro e o sapo

Um engenheiro estava a passear quando um sapo se dirigiu a ele e disse “Se me beijares, transformo-me numa linda princesa”.

Ele pegou no sapo e meteu-o no bolso.

O sapo falou novamente e disse, “Se me beijares e me transformares novamente numa princesa, serei tua namorada”

O engenheiro tirou o sapo do bolso, sorriu-lhe e voltou a metê-lo (heh) no bolso.

O sapo voltou a falar e disse, “Se me beijares e me transformares novamente numa princesa, caso-me contigo”

O engenheiro tirou novamente o sapo do bolso, tornou a sorrir-lhe e a metê-lo no bolso.

Finalmente o sapo disse, “Qual é o teu problema? Sou uma linda princesa! Porque é que não me beijas???”

O engenheiro respondeu, “Pá, sou um engenheiro muito ocupado. Não tenho tempo para namoradas nem esposas, mas um sapo que fala é fixe p’ra caraças!”


Comentários d’O Patriarca:

  1. Esta história tem uma importante lição de frame para todos os homens
  2. A parte geralmente não contada da anedota: o engenheiro finalmente acede a beijá-la quando ela promete fodê-lo quando ele quiser sem lhe chatear o juízo.

4 comentários em “O Engenheiro e o sapo”

  1. Quando o engenheiro acede em beijá-la, com a condição de ter sexo em troca, também está a deixar a princesa feliz.
    A princesa, como todas as modernas princesas, usa a pílula, o que significa que controla quando engravida.
    Dessa forma, quando lhe apetecer faz filhos com o benemérito engenheiro, que desse modo é despromovido ao posto de macho beta dos subúrbios.
    Começa assim uma nova fase na sua vidinha de engenheiro, que é pagar contas e sustentar os filhos da sua princesa.
    Enquanto isso, a princesa que certamente ficará enfadada de ser apenas um consumidor de esperma e de dinheiro da relação (sexo transaccional), mais cedo do que tarde vai saltar a cerca para desenjoar do engenheiro insosso com um verdadeiro macho alfa para obter o seu sexozinho validacional.
    Beijinhos!

Deixar uma resposta