Tudo putas

Pelos vistos tocar num joelho já é considerado abuso sexual.

Portanto parece que chegou a altura de ir às últimas consequências. Se qualquer acção física que um homem possa ter relativamente a uma mulher é equiparável e condenável como um acto sexual, o simples corolário que se pode retirar daí é que qualquer tentativa de uma mulher tirar partido do corpo para influenciar os homens à sua volta é equivalente a vender sexo. E quem faz isso tem um nome.

Puta.

Usar, em contexto profissional, de qualquer roupa que mostre ou realce cu, mamas, perna, umbigo, ombros, qualquer coisa que possa ser atraente para um homem, é ser puta.

claudisabel
A puta canta muita bem…

Demasiado óbvio? Já toda a gente lhe chama puta? Não há problema, prosseguimos.

rita ferro rodrigues decote
Quer ser a chefe das feministas, mas fez carreira a mostrar as mamas… puta
cancio decote
Queres homens com medo? Tapa mas é as mamas, puta
barbara guimaraes decote
Esse decote é para os polícias não te mandarem soprar no balão, puta?
joana amaral dias puta.jpg
Não queres ser apoucada? Veste-te, puta.
ana drago decote
Se tapasses as mamas como tapas as orelhas, puta
Rita Rato decote
Vai mostrar as mamas para um Gulag, puta
isabel moreira decote
Isso é maneira de estar no Parlamento, puta?
catarina martins decote
Não se sabe qual será o público mas… puta
mortagua decote.jpg
O Patriarca admite que a sapatona não lhe facilitou a vida mas… puta

Ah e tal O Patriarca só malha em gajas de que não gosta. Não seja por isso, também se pode malhar em símbolos nacionais!

Teresa-Salgueiro-decote
Anda cantar. Tu cantas bem. E tapa as mamas, puta.
rosa mota
Tens calor, puta?
fernanda ribeiro
Mas tu nem tens mamas para mostrar, puta
amalia
O Salazar deixa-te sair assim à rua, puta?

Este artigo não é para as feministas. Essas estão para lá de toda a razão. Este artigo é dirigido a mulheres que possam estar em risco de infecção pela perniciosa ideologia, para que pensem muito bem no que se está a fazer com a actual caça ao homem. Quanto mais longe for a insanidade, pior será a inevitável reacção.

É também para os homens que gostam de ver mulheres livres pela rua, vestidas de forma sexy, e a quem possam deitar a mão. Que não se deixem arrastar na conversa, e que assumam com orgulho que cortejar mulheres faz parte de ser homem.

Infelizmente O Patriarca começa a perceber de onde é que vem a Sharia e as burkas. E se calhar os mouros é que têm razão.

 

 

17 comentários em “Tudo putas”

  1. “Quanto mais longe for a insanidade, pior será a inevitável reacção.”

    Concordo a 100%.

    Digo que, caso os europeus, leia-se gente com QI elevado, de civilização de matriz judaico-cristã, o que não quer dizer exclusivamente brancos, vencerem as guerras civis que vão estalar, mais tarde ou mais cedo, por essa Europa fora, contra os invasores mouros, as mulheres devem perder o direito de voto.

    Porque votam massivamente em partidos que são favoráveis à invasão por bárbaros terceiro mundistas;
    Porque, são na sua maioria, lunáticas que votam com as emoções e não com a razão (votos fáceis para quem apela ao ajudar os coitadinhos);
    Porque são a maioria dos grupos de “refugees welcome”, e nem quando a criminalidade dispara e deixam de poder andar sozinhas na rua, reconhecem a merda que fizeram.

    Principalmente porque eu, a ter que arriscar a pele para derrotar um bando de animais que vivem bloqueados no século VII, quero algo de volta, e esse algo é que Câncios e Isabeis Moreira deixem de poluir as vias aéreas, e as ideias vis delas percam toda a força. Quero que o mulherio deixe de se armar ao pingarelho, com estas histórias parvas de tocar no joelho é acto sexual, que não se pode ter livros rosa e azul, e etc.

    Uma reacção mais branda que esta é a que já estou a recomendar aos meus amigos solteiros: caguem para as portuguesas e arrangem uma polaca (ou de outro país de leste, mas Polónia é melhor). Eu até nem estou mal servido com a minha portuguesa, ela faz mais limpezas, eu cozinho mais vezes (o que até é um bom tradeoff, porque eu cozinho melhor).
    Mas muito mulherio português acha que as tarefas domésticas têm que ser 50-50 e, alguma acham que elas fazem o planeamento da limpeza e planear é 50% do trabalho, por isso o homem tem que fazer mais de 50% do trabalho físico. Alguém está para aturar isso? Lagarto, lagarto!

  2. Tenho um texto na calha sobre isso. Publicá-lo-ei.

    À parte disso, duvido seriamente que os Europeus vençam. Duvido. E aquilo que tenho ouvido do Leste, via ROK, já não é animador

  3. Este é o tempo dos gajos feios cortejarem à vontade, porque se tentarem acusá-los de alguma coisa ninguém acredita nelas…

  4. O backlash de todo este circo já começou.

    Ironia das Ironias, agora nenhum homem quer ficar sozinho com uma mulher… não vá ter a carreira destruída por uma false rape accusation…

    “In the wake of the #MeToo movement, it’s clearer than ever we need to put an end to sexual harassment. But that is not enough. There is evidence of a backlash that could be harmful to women: twice as many male managers now feel uncomfortable working alone with a woman.1 This is a step in the wrong direction. Now more than ever, we need men working with—and mentoring—women. ”

    “I wrote in Lean In that 64 percent of managers are afraid to be alone with a woman colleague, in part because of fears of being accused of sexual harassment,” she writes. “The problem with this is that mentoring almost always occurs in one-on-one settings. One of the most gratifying responses I got from Lean In was when senior men acknowledged that they had been giving fewer opportunities to women, often without really thinking about it. I got call after call where CEOs and some of the most senior men in many industries told me, ‘I never really thought about it before ― but you are right that I take men on the trip and to the dinner rather than women and that is unfair.’

    1. Numa estrutura de um Partido de Direita em Portugal, havia uma rapariga, a M,conservadora e religiosa, que tinha tendência para mentir. No fim de uma reunião da direcção da estrutura, o presidente mandou os rapazes da equipa ficarem mais um pouco. Deu-lhes a instrução: “Ninguém daqui passa tempo sozinho com a M sob circunstância alguma”. Como calcularás, foi excluída da coisa em três tempos.

      A campanha vai alhear as mulheres das equipas de trabalho, dos centros de poder e fragmentar ainda mais a sociedade. Como acontece com as quotas (nos Partidos que as adoptaram) as únicas mulheres politicamente envolvidas serão as esposas, primas, sobrinhas, e filhas dos dirigentes que não mete os pés em nada, assinam de cruz e permitem a sobreextensão do poder aos homens do aparelho. As reuniões de muitos órgãos tornam-se forçosamente uma festa da mangueira

      É uma desgraça

  5. Ainda hoje estive a ler sobre isso.

    As badalhocas que armaram este escabeche todo vão lixar o mulherio. Em Wall Street já está a acontecer nenhum director senior querer estar na maesma sala sozinho com uma mulher.

    É a Billy Graham rule, também designada ultimamente como Mike Pence rule.

    Eu aprovo, estar sozinho com colegas de trabalho mulheres tem tudo para dar barraca.

Deixar uma resposta