A voz do povo

(No Café)
– Eu gosto de o ter aqui, sabe?
– Julgava que era dos seus clientes mais dificeis
– Qual quê. Devia ver umas que apareceram cá hoje de manhã. Umas Brasileiras…
– Foi?
– Nem sei! Se eram Brasileiras ou Brasileiros ou lá o que aquilo é. Não é carne nem é peixe
– Ah eram desses?
– Sim, vinham com uns saltos com umas saias uma pintura… não é nada contra ninguém eu até sou um tipo aberto mas aquilo mete-me nojo! Nojo, sabe?

– Percebo.
– Mete-me nojo, queria era os tipos fora daqui. Não eram carne nem peixe…
– Eram legumes?
– Eram, nem sei, só sei que me faziam nojo.
– Vossemecê julgava que tinham pipinos mas na volta tinham era cenouras
– (Risos) Olha-me isto, oh zé, temos agricultor

ban trans

Um comentário em “A voz do povo”

Deixar uma resposta