Provocação Constante #5 – a pílula

Provocação Constante é uma série em que O Patriarca partilha algumas das pequenas provocações que vai fazendo à sua namorada. Estudiosos de Game e Red Pill sabem que o teasing (provocação) é essencial tanto para o jogo do engate como para a manutenção da tensão sexual dentro de uma relação. Os betas pensam erradamente que arreliar as miúdas lhes pode trazer problemas, quando é precisamente o contrário. Esta série pretende dar exemplos práticos disso mesmo. Always Be Teasing!

A provocação não tem necessariamente de surgir em forma de antagonismo. Acima de tudo é uma questão de defraudar expectativas. O beta faz à letra o que lhe é pedido. O alfa junta um toque pessoal.

Ela [por WhatsApp, está no trabalho. A chefe está a um metro]:

  • por favor, vai à casa de banho e vê a caixa das minhas pílulas
  • Não me lembro se tomei ontem
  • Manda-me uma foto

OP: [foto da piça a apontar para a lâmina das pílulas]

pill pic
Recriação artística

Ela:

  • Hahahahahahahahahaha
  • Não consigo parar de rir [o riso neste contexto é acompanhado de passarinha húmida, não esquecer]
  • Estão a perguntar-me o que se passa

Passou o resto do dia a lembrar que mais tarde tinha de levar com ele. E assim que chegou a casa cobrou, com juros.


P.S. talvez o Bruno Maçães pudesse aprender algo com este blog?

Fotógrafa forte e independente

Numa estrondosa vitória para a igualdade, uma australiana foi a primeira a tirar fotos de uma caçada de um leopardo das neves.

Ah, afinal foi a primeira mulher. O elusivo animal já tinha sido filmado em 2012 pela BBC, e fotografado em 2008 por um tal Nisar Malik.

Não é claro quem foi o primeiro homem a fotografar o bichano, o que torna ainda menos claro porque é que se reporta esta não notícia.

Mas fica melhor. Afinal a dita senhora co-liderava a expedição com um homem. E havia pelo menos mais dois fotógrafos.

Alguém tinha de carregar o material pesado. Uma notícia interessante seria o dia em que uma mulher fizesse um destes “recordes” sem ir montada num ou mais homens. E no meio disto tudo nem se percebe se foi mesmo ela que tirou as fotos.

No fundo este “feito” é parecido com a peça em si: a quenguinha que se auto-intitula jornalista e que publicou este pedaço de propaganda podia, por exemplo, já que se interessa tanto por este assunto, ter ido ter com a fotógrafa e entrevistá-la.

Em vez disso republicou uma notícia de 2015 do The Telegraph, em português.

O Patriarca não sabe se os passos de Marta Leite Ferreira a levarão longe. Deseja apenas que a levem exactamente onde merece.

marta leite ferreira


P.S. O Patriarca recorda-se vagamente de já antes ter lido umas quaisquer baboseiras desta tonta. Estaremos perante uma aprendiz de Paula Come Pinto?

Feminista Câncio

“Qualquer dia é proibido um homem dizer olá a uma mulher.”

O título do artigo conjugado com o nome da autora fez O Patriarca paralisar de espanto por uns momentos. Querem ver que a Fernanda Câncio ganhou juízo???

Não, como é óbvio.

A melhor maneira de enterrar as feministas é dar-lhes corda e deixá-las falar. Principalmente se forem gajas burras como esta. Rapidamente deixam os argumentos aparentemente razoáveis com que adoçam os ouvidos dos incautos, e expõem a verdadeira natureza do nefasto movimento supremacista que pontificam. Melhor do que qualquer opositor poderia fazer.

Porque sim, é isso mesmo que é preciso: que os homens reprimam os seus comportamentos naturalizados e pensem sobre o que é ou não adequado dizer ou fazer a uma mulher. Que se assustem com as possíveis consequências; que tenham medo de causar medo. Que percebam que não, não podem fazer e dizer tudo o que lhes ocorre, e que essa noção, além de sublinhada na lei, deve ser explicitada na escola – e desde cedo, porque é muito cedo que começam os danos.

Fernanda Câncio

Objectivo: subjugação dos homens.

Método: endoutrinar as crianças.

O feminismo é isto. Só não vê quem não quer.

Humoristas Feministas

Há uma coisa que O Patriarca aprecia na harpia-mor, que é o seu elevado débito de bojardas imbecis que dão artigos fáceis e rápidos.

Aparentemente a megera quer mais humoristas feministas. Não sabemos se está na calha alguma proposta para impôr quotas de género no humor, mas dado que é bastante difícil fazer rir por decreto, não se imagina que tal possa suceder enquanto não tivermos uma ditadura estalinista abertamente instalada, com uma arma apontada à cabeça de cada cidadão que não solte uma gargalhada.

O Patriarca podia fazer uma explicação mais detalhada de eventuais razões biológicas para haver poucas mulheres humoristas – assim rapidinho, para ser humorista é necessário estar disposto a chocar e aguentar críticas ferozes. As mulheres têm tendencialmente mais Agradabilidade (um dos grandes 5 traços psicológicos – vontade de agradar) do que os homens, e mais Neuroticismo (outro dos 5, sensibilidade a emoções negativas – como críticas).

Mas porquê gastar latim quando há uma explicação muito mais simples?

A ausência de sentido de humor é um dos pré-requisitos para ser feminista.


P.S. O Patriarca encontrou também neste artigo uma possível explicação para a extrema megeridade da megera: irmão gémeo. Exposição excessiva a testosterona intra-uterina? Ou mera inveja de pila?

Nunca é demais lembrar que teve de sofrer a humilhação de pedir o namorado em casamento.

 

 

 

Sobre o Respeito

Na sequência deste post e de uma discussão relacionada, O Patriarca chegou a uma conclusão interessante.

Uma sedução bem sucedida é uma série de desrespeitos tacitamente aceites.

Primeiro, em caso de uma abordagem a frio, o desrespeito de ires falar com uma mulher que não conheces de lado nenhum.

O desrespeito de a qualificares. O desrespeito de uma neg. O desrespeito de um toque não autorizado. O desrespeito pelo namorado dela (real ou fictício). O desrespeito de fazeres um bounce sem sequer lhe dizeres onde vão a seguir. O desrespeito de te convidares para casa dela, ou de a meteres na tua.

Por fim, o desrespeito de a foderes apesar de ela a determinada altura dizer não (embora todas as suas acções até aí digam “sim”). E quiçá o desrespeito de correres com ela ou te pôres a andar, sem certezas de se voltarão a falar.

O principal obstáculo a que um homem tenha uma vida sexual gratificante é o respeito pelas mulheres.

respect is the key
… mas não da maneira que a maioria dos homens pensa.