Aprendendo com o patriarca

Depois de me submeter a uma situação especialmente humilhante (que descreverei em breve), uma garota das minhas imediações queixa-se em plenos pulmões

– Precisava de uma bicicleta para ir sair com os meus amigos Franceses mas não tenho uma
– Precisavas? Podes levar a minha
– Oh! Que querido (seca a passarinha)
– Está aqui e aqui tens a chave. Leva à vontade.
A bicicleta tem o banco ajustado à minha altura, mais 15 cm do que a pequena. Por isso ela, uns vinte minutos depois, queixa-se
– Olha, podes só ajustar o banco? É que assim não consigo andar.
– Claro claro, empresta cá.
Pego na bicicleta, baixo o banco, monto na bicicleta e ala que é cardoso.

Seis horas depois encontrei a moça de novo e nunca a vira tão interessada em conversar comigo.

noivo em fuga de bicicleta

Deixar uma resposta