Putas

O Patriarca não sabe se a culpa é do feiticeiro de serviço, mas de entre os termos de pesquisa que trazem gente a este blog, por algum motivo um dos mais frequentes é… putas.

termos de pesquisa

Posto isto, O Patriarca achou por bem revelar a sua posição relativamente ao uso de putedo.

O Patriarca não tem qualquer problema moral ou ético quer com as putas quer com os homens que recorrem aos seus serviços.

As mais lógicas e válidas objecções, como o tráfico humano e a exploração de menores, seriam facilmente resolvidas com a legalização e regulamentação da profissão.

As rameiras profissionais não só são impossíveis de erradicar, como tal seria indesejável, pois constituem um importante mecanismo de escape na sociedade. Por um lado mantêm a estabilidade mental de muitos homens que de outra maneira não têm acesso a sexo, por outro mantém em cheque os devaneios da população feminina em geral – não podem tornar tão difícil a vida aos homens que mais valha ir às putas.

Tendo em conta que até no Tinder há quengas a pedir dinheiro por nada, travecos e transgénicos, putas declaradas e gajas a pedir pizza, entre outras aberrações, não é de estranhar que para alguns homens a perspectiva de uma troca directa e sem espinhas de dinheiro por sexo não pareça assim tão mau.

Dito isto, O Patriarca aconselha qualquer homem que se veja impelido a ir às putas que dedique algum tempo a aprender Game. A sensação da caça bem sucedida é algo que todo o homem deveria vivenciar. Além disso, um utilizador regular de putas pode apresentar uma atitude de abundância que outros não terão. Pensar que se a gaja que tens à frente não quiser, as notas no bolso arranjam uma que queira, pode não ser um pensamento bonito, mas é um passo na direcção de uma frame forte.

Num mundo de betas, quem tem Game é rei.

 

10 comentários em “Putas”

  1. sensação da caça bem sucedida ou pagamento direto por um serviço vai dar no mesmo resultado. E antes pagar para foder bons canhões do que andar a tentar, tentar e etc com coirões que não valem nada

      1. Trata-se de não reunir certos “atributos” que quase todas gostam num homem, apesar delas dizerem que isso interessa pouco.
        Mais vale logo assumir as coisas como elas são e não me iludir, achar que vou conseguir esta ou aquela, porque o resultado vai ser o mesmo de sempre…

        1. É uma escolha. Parva, na minha opinião, e baseada na falta de ambição e motivação para ser melhor. Mas é uma escolha, e quem a faz e assume, respect. Desde que não se andem depois a queixar…

          1. Se elas preferem gajos com características x, y, z não vale a pena entrar em ilusões. Resta melhorar no requisito financeiro e no corpo e não ter grandes esperanças ou expectativas nas mulheres.

          2. Não tenho essas opções, contudo não vivo revoltado com isso na medida em que sei como as coisas funcionam.

  2. Desde os tempos imemoriais as melhores gajas iam para putas, porque era um desperdício uma gaja boa ser só para um, assim são para todo o povo…

Deixar uma resposta