Valor sexual de mercado: Por que razão os looks e o dinheiro não são o mais importante?

pick up artist

Ao contrário do que acontece em outros espaços supostamente masculinos como o Men’s Health  ou o Reddit, onde feministas e paladinos da justiça social juntam esforços para obstruir a verdadeira narrativa da redpill, o fórum chupa-mos, onde Henry Chinasky tem passado uns tempos a navegar, poderá ser um dos últimos cantos da internet portuguesa digno do título “a fachoesfera portuguesa”.

O chupa-mos é um espaço onde nacionalistas, misóginos e racistas expressam as suas opiniões livremente, longe da censura que vigora nos media convencional e redes sociais.

O chupa-mos é um fórum bastante esclarecido relativamente à natureza hipergamica das mulheres – mulheres querem sempre homens de maior valor ( sendo as noções de valor mais comummente evocadas: dinheiro e atractividade física), e sabe que nice guys finish last – ser um beta que procura fazer todos os favores para agradar mulheres não traz nenhuma recompensa sexual. No entanto, parece ainda haver uma certa lacuna sobre a estratégia sexual a seguir pelos homens.

O que se nota por estes ares é que tomar a redpill tem um sabor amargo para a maioria dos homens. Ultrapassar esta fase é extremamente difícil, e aceitar o imperativo feminino sem se guardar rancores contra as mulheres é raro. O caminho é ainda mais doloroso quando a maioria dos homens é game denialist e abandona o seu destino no mercado sexual a factores fatalistas como a hereditariedade genética/financeira, ou a factores de muito longo prazo, como: o melhoramento físico através do ginásio, carreira/ negócios…

Henry Chinasky não nega o impacto do SMV( valor sexual de mercado) no processo geral da sedução. Alias, é um grande apologista de que o treino físico/musculação deveria ser obrigatório para todos os homens, assim como, que na missão de vida de cada homem, a perspectiva financeira deverá ter uma relevância muito superior à sexual/amorosa.

Contudo, no que toca a relações com o sexo oposto, uma aposto única nestas áreas pode muitas vezes não resolver e (mesmo) exacerbar os problemas. O não reconhecimento de que a maioria dos problemas advém da falta de comportamentos alfa; da desinformação que existe sobre as relações intersexuais; da inexistência de estratégias para vencer no mercado sexual (Game/PUA); e não de uma suposta falta de looks e dinheiro, cria um choque mental para muitos homens, que se deparam com os mesmos problemas repetidamente e não conseguem dar uma resposta adequada.

Mais tarde, analisaremos uma dessas questões colocada no fórum chupa-mos. Primeiro, comecemos por uma necessária recapitulação sobre o SMV.

*************************************************************************************

O que é o Valor sexual de mercado?

SMV
Evolução média do SMV para homens e mulheres ao longo do tempo

O SMV determina o nosso ponto na escala da hierarquia sexual. O SMV tem essencialmente duas componentes: a pessoal (determinada pela pessoa que somos) e a circunstancial (determinada pelo ambiente em que estamos).

A parte pessoal do nosso SMV resume-se a:

Poder/Recursos: inclui dinheiro, autoridade/poder real, extensão e domínio do círculo social, estatuto que a nossa profissão confere (proxeneta vs. cirurgião plástico), património, competição feminina pela nossa companhia, etc.

Aparência/Atracção Física: inclui nível de beleza natural, forma física, estilo/pinta com que nos vestimos/arranjamos, etc.

-Skills/Conhecimento: mastery de actividades: saber tocar um instrumento (ex:guitarra, piano), saber dançar (ex:salsa, kizomba); saber falar línguas (ex: francês, russo) ser praticante de um desporto (ex: surf, rugby), dominar uma arte de combate (ex: boxe, muay thai), inteligência, cultura geral, etc.

Personalidade/Atitude: inclui carácter, atitude no momento,  sentido de humor,  sociabilidade, estabilidade emocional, linguagem corporal, nível de game/sedução, etc.

A parte circunstancial, ou do ambiente em que nos encontramos:

Rácio homens/mulheres no local: por exemplo, numa festa em que há 100 homens e 10 mulheres qualquer uma delas vai receber toneladas de atenção masculina, além de que são um produto raro naquela festa. Mesmo que elas sejam feias ou banais o SMV delas todas sobe por serem um produto raro e o dos homens desce por estarem em abundância. Qualquer das mulheres vai ter um poder de escolha muito maior, por isso vai ser muitíssimo mais selectiva do que se a situação fosse inversa (10 homens para 100 mulheres).

Nível médio de qualidade das mulheres no local: se estamos numa festa só com modelos da victoria secret (vamos esquecer o rácio), o nosso SMV sobe e permite-nos aceder a mulheres de maior qualidade, pelo simples facto que o nível médio de qualidade das mulheres é muito alto (a pior de todas continuava a ser uma excelente conquista).

Nível médio de qualidade dos homens no local: se estamos numa festa com todos os melhores actores de hollywood e nós somos um homem médio de Lisboa, o nosso SMV desce brutalmente por comparação com eles. Da mesma maneira que se formos um advogado de sucesso, com pinta e em forma, numa festa, em que todos são uns geeks do World of Warcraft, o nosso SMV sobe por comparação com eles. Naquele momento as mulheres olham para nós e colocam-nos com uma melhor ou pior escolha por comparação com os outros homens disponíveis.

Tipo do ambiente do local: O CEO de uma empresa que no mundo empresarial é respeitado por todos e tem gajas à balda interessadas, mas na festa da kizomba de sexta à noite é preterido e ignorado em favor de qualquer azeiteiro musculado. Os estilos são simplesmente diferentes.

 

comer gajas
Podes ser um médico ou engenheiro de sucesso, mas esta gaja  fica é excitada com alfas acabadinhos de sair da prisão

 

************************************************************************************

O user Bimbaum abriu o seguinte tópico intitulado Gajas de 20 e poucos.

“Estou com 26 anos, tenho estudos (sou Engenheiro Mestre), fiz o curso que quis, trabalho na minha área numa das melhores empresas do país, recebo acima da média para alguém com a minha idade/experiência, sou giro, forte, inteligente, reverenciado pela sociedade, etc etc… Mas apesar de bem sucedido não me considero uma pessoa totalmente realizada por causa das gajas, parece que só têm merda na cabeça. Será que são todas assim? Não sei, digam-me vocês nézés?
Sou filho único, o último da linhagem, não posso ser o último ramo da minha árvore genealógica, esse seria definitivamente o maior falhanço da minha vida.
Nos últimos meses tenho procurado uma mulher bonita, sensata, responsável, honesta e inteligente por quem consiga nutrir sentimentos de cumplicidade e intimidade para iniciar um projecto de vida comum, estável e independente com condições para ter filhos, enfim, viver o sonho…

O Bimbaum é um dos muitos homens com um valor sexual de mercado que supostamente não deveria suscitar problemas  (engenheiro numa boa empresa, bem parecido, inteligente e socialmente bem inserido), mas mesmo assim não se sente realizado por causa da sua vida amorosa. Analisemos o porquê de muitos homens com vidas minimamente organizadas não terem os resultados que querem com mulheres:

1. Não tomam acção suficiente / não abordam raparigas

De longe o principal factor para a falta de sucesso com mulheres. Seja porque o círculo social é demasiado pequeno, seja porque nunca tiveram jeito para meter conversa com pessoas desconhecidas, a maioria dos homens deixa-se ficar na área de conforto. As mulheres não caem do céu, elas nem sequer sabem que vocês estão livres para uma possível relação,  a não ser que abram o jogo/abordem. Cabe sempre ao homem tomar a iniciativa.

Hoje em dia, dada a miríade de opções disponíveis para conhecer mulheres, basta meter um pouco de força de vontade para que tal seja um sucesso. Seja através de Daygame (meter conversa na rua, transportes, cafés, supermercados) , de online game ( tinder, badoo), de círculo social ( a escola/faculdade e o trabalho são apenas os círculos obrigatórios da vida de cada um, se queres conhecer mais gente, podes praticar actividades ex: dança, partidos políticos, aulas de teatro, toastmasters, desportos em grupo…) e por último, mas não menos importante, nightgame ( bares, discotecas).

2. Não têm um método para seduzir

Numa sociedade feminista que difunde o “just be yourself” como o conselho padrão de engate para os homens, e que busca assustar os homens que procuram conhecer mulheres com leis anti-piropo e gritando a plenos pulmões uma inexistente cultura de violação, apenas quem teve a sorte de ser um natural alfa e acumular um bom numero de lays na juventude é que tem a mínima noção do que fazer para seduzir.

Para os outros, é maioritariamente ao azar, normalmente em encontros fortuitos durante um período em que os círculos sociais do ensino são propícios a muitas interacções com raparigas, o que algumas vezes leva a sucessos com mulheres.

“O que vou dizer?” “É estranho ir falar com elas” –   pensamentos beta de um amigo do Chinasky quando foi deparado com a possibilidade de conhecer mulheres do sexo oposto

Para não chegarem a esta situação, estejam preparados para qualquer contexto e interacção, leiam, por exemplo, o mystery method, ou outro modelo qualquer de game. Aprendam os conceitos e a terminologia do game, sem porém terem de seguir tudo à risca. Regra geral: ter um modelo mental/racional do que estão a fazer é indispensável.  

3. Vivem nos filmes de contos de fada disney em vez da redpill

O clássico filme de adolescentes onde o rapaz beta, nerd e estranho ( mas com bom coração) acaba, sem saber bem como, com a rapariga bonita do prom que sempre desejou, é incontestavelmente ficção.

No mundo real, 99% das vezes, a rapariga vai escolher o alfa, convencido, outcome independent (possui uma mentalidade de abundância tal que não se deixa afectar por desfechos negativos), que com uma frame forte e dominante, ultrapassa todos os shit tests.

A redpill cultiva a excelência nos homens e maximizar o SMV vai claramente nesse sentido. Embora não ter um valor sexual de mercado muito elevado quase nunca seja uma razão justificava para o insucesso sexual de um homem, quanto mais alto for o nosso SMV melhores mulheres obtemos, além de que o investimento que fazemos em todo o processo é cada vez menor. De modo que, tanto o ponto 1 – conhecer mulheres/abordagem – vai ser mais fácil, como no 2,  erros no game ou comportamentos beta  vão ser mais facilmente perdoados.

Atenção: Para quem gostaria de aprender o que é a redpill, façam um favor a vocês mesmos e fiquem um par de dias a absorver os resumos anuais do Rationalmale, ouro puro.

Tenho-me deparado com vários tipos de gajas:

1 – Aquelas que trabalham em empresas de merda e ganham muito menos do que eu. Algumas ainda nem acabaram os estudos mas estão sempre a fazer viagens para o estrangeiro (em lazer) e a postar fotos no facebook. Como é possível? Chapa ganha, chapa gasta? Não pensam no futuro? Não sou pai delas para as sustentar, puta que as pariu… O máximo a que podem almejar é uma vida razoável porém parasitária. Não servem para mim.

2 – As putas assumidas ou mulheres modernas e emancipadas das relações abertas ou namoros de curta duração, ainda não lhes chegou uma década ou mais de javardice… Mas o plano delas vai sair mais furado do que aquelas conas, daqui a 5 aninhos já estarão acabadas e ninguém as vai levar a sério.

Elas podem ter trabalhos mal pagos, não ter estudos, gastar todo o dinheiro, etc… mas não deixam de estar bem na vida e em capacidade de encontrar o melhor dos parceiros, o SMV feminino ( ao contrário do masculino) é quase exclusivamente baseado na beleza física.

Analisando o gráfico do SMV, verificam que as mulheres entre os 16-29 estão nos anos dourados do mercado sexual. Têm muito mais valor do que os homens da mesma faixa etária. Muitas aproveitam para satisfazer a hipergamia ao máximo, viajam pelo mundo, postam todas as fotos possíveis no facebook/insta para ostentar os seus status de SMV. E claro, fodem com o maior número de alfas possível. Quando chegam aos 30,  nota-se a tendência a mudar, a busca pelo beta provider ganha primazia ( a chamada vida parasitária que o Binbaum bem sublinhou).

3 – As mães solteiras, algumas desesperadas, outras sem noção. Em princípio não conseguirão parasitar ninguém em particular, apenas o estado que somos todos nós. São as mães guerreiras, coragem etc.

Por outras palavras, engravidaram de um alfa que não quis saber delas. Agora estão em busca de um provider que sustente o filho bastardo.

4 – Aquelas gajas que em 3 anos tiveram 6 cornos mas passam a vida a publicar artigos do jafoste no facebook e a pregar aos sete ventos que os homens são todos uma merda e não as valorizam. Passado um mês já estão com outro igual aos últimos 6, um merdas feio, desempregado e azeiteiro a viver do RSI.

Clássico Beta bait. Elas adoram tudo nos alfas que lhes meteram os cornos, o único problema foi que não os conseguiram manter. Respondam a esses pedidos de atenção beta com consideração por elas e ficarão para sempre catalogados como os gajos que não lhes despertam desejo sexual. Como é óbvio, um tempo depois estão de volta a um novo alfa (ou ao que lhes meteu os cornos n vezes)  não reactivo que não se deixa influenciar pelos caprichos da menina.

Estarei condenado a ter um filho por inseminação artificial como o cronaldo? Será que me vão obrigar a tratá-las como objetos descartáveis, como o pedaço de lixo que até agora têm demonstrado ser? Uma pastilha elástica que depois de mastigada se deita fora? Uma folha de papel higiénico a que se limpa o cu e se manda pela sanita abaixo? Será que este tipo de mulheres serve algum propósito para além de serem receptáculos de esperma? Será que hoje em dia há outro tipo de mulheres?- Bimbaum

Todas as mulheres devem ser tratadas como objectos descartáveis, essa é a mentalidade alfa. Quanto mais cedo perceberem que não existem gajas especiais/unicórnios mais rapidamente vão ser bem sucedido na vida amorosa.

Isto não significa que nunca possam ter relações de longo prazo bem sucedidas, mas que o idealismo blue pill da “nice girl” é um mito. No ambiente certo, com o alfa certo, a mais pura das raparigas vira uma slut completa.

alfa come qualquer gaja

“Good girls are just bad girls who never got caught.”

42 comentários em “Valor sexual de mercado: Por que razão os looks e o dinheiro não são o mais importante?”

    1. O objectivo deste artigo era desmistificar as ideias da malta que usa o dinheiro e os looks como desculpa para o insucesso sexual. Esses gajos normalmente são uns betas mansos, não sacam gajas porque não têm colhões para se lançar ao mar e depois passam a vida a inventar desculpas…

      1. Óbvio que tomar acção é muito importante, mas também é de extrema importância não encher os homens com determinadas ilusões.

        1. claro, mas nem eu pretendo dizer aqui que qualquer homem pode virar uma modelo todos os dias. Agora, virar meia dúzia de gajas por ano, arranjar namorada, etc.. etc.. está ao alcance de qualquer homem

    2. Tony Montana, tu tens razão. Dinheiro traz poder e poder traz mulheres. Mas elas não estão erradas por desejarem um homem com poder. Está escrito nos genes delas e além disso, quando uma mulher tem 10 homens atrás dela tem o direito a escolher aquele que mais mexe com o sistema dela. O mesmo se passa contigo: se chegares ao ponto de teres 10 mulheres a quererem casar contigo, é óbvio que vais escolher a que tem melhores atributos, vais escolher uma das que tem melhor aspecto fisico, que seja inteligente, doce e tenha sentido de humor (ou o que quer que seja que tu gostes numa mulher), podes não escolher a mais bonita de todas, porque não tem charme ou porque é oca, mas entre a gorda, feia, com sentido de humor e a gira, com um corpo saudável e sentido de humor, escolhes a segunda. Mas estas frases nem eram necessariamente para ti.
      O que tenho para te dizer é isto: o game não é feito para o Cristiano Ronaldo, esse tem dinheiro e o poder. O game é para tipos que não têm rios de dinheiro, mas que também sentem necessidades de contacto com as mulheres (e acredita que conheço casos de pessoal que nestas condições se safa com o sexo oposto) e para tipos como o que foi mencionado no texto, que tem, aparentemente tudo para ter mulheres aos seus pés e não tem. O que é que lhe falta? Algumas coisas, nomeadamente aprender a transmitir o valor que efectivamente já tem. Este gajo só não tem gajas a babarem-se aos pés delas porque não lhes dá hipóteses: ou não se envolve em meios onde hajam mulheres e se calhar até trabalha com mulheres, mas no trabalho até é um gajo, que em comparação com os colegas, tem um SMV baixo, ou se calhar é agressivo quando fala com mulheres ou simplesmente tem tantas barreiras, tantos medos, a auto-estima tão em baixo que não vê os sinais que elas lhes mandam. Também não sabe comportar-se como um homem de valor. E também muito importante: não sabe conversar com o sexo oposto. As conversas que tens com o teu patrão são diferentes das conversas que tens com os teus amigos ou com as mulheres e há pessoas que não sabem fazer essa distinção. Enquanto que se o Cristiano Ronaldo quiser ensinar a namorada futebol, ela em 4 ou 5 dias sabe até identificar um fora-de-jogo, um informático vai demorar mais do que uma semana a explicar à sua companheira (e a qualquer homem que não tenha experiência no ramo, também) como é que se cria um programa. Isto não tira o mérito ao Cristiano Ronaldo, porque saber a teoria não é o mesmo que ser bom na prática, mas efectivamente torna mais fácil a mulher seguir a carreira do namorado, por exemplo.
      Agora, se este gajo se aplicar como o outro que falei que recebe ordenados abaixo dos 1000 euros, vai aprender a falar com mulheres, vai aprender a valorizar-se, vai aprender a expor o valor que tem, vai aprender como a sua linguagem corporal o trai e transparece a outras pessoas que ele não tem valor, vai aprender a ler os sinais que as mulheres lhe mandam quando estão atraídas, vai desenvolver-se a um nível pessoal e social que se vais tornar muito mais carismático. O Cristiano Ronaldo não precisas de aprender nada: efectivamente tem dinheiro e também já tratou de melhorar o look, fala já três linguas, ainda que não as domine inteiramente, é um craque no que faz, é adorado por meio mundo e tem a linguagem corporal de um tipo que se está a cagar para que uma gaja lhe vire costas ou não, porque sabe que daí a meia hora está lá outra. O gajo que recebe menos de 1000 euros por mês só se envolve com modelos ou advogadas que ganham rios de dinheiro? Não, mas de vez em quando também lhe aparecem mulheres assim na vida, desde empregadas de balcão em lojas de shopping até advogadas e filhas de gente famosa nos seus países.

      1. A minha ideia de “game” é simples. O “game” funciona uma espécie de empurrão para aqueles que já possuem determinados atributos fundamentais como o dinheiro, looks, sucesso académico/profissional, mas que de um modo o de outro não estão a conseguir usar isso a seu favor.
        Quem não tiver esses atributos, fica complicado…
        Até pode saber muito “game” ou o que quer que isso seja que não vai adiantar grande coisa.

        1. Assumindo que tu não entendas todas como necessárias, bastando às vezes uma ou duas, então sim, estás corecto. Ainda há uns dias me cruzei com uma das miudas mais bonitas do meu secundário; continua com o mesmo namorado. Ele é gordo e da ultima vez que os vi lembro-me vagamente dele conduzir uma carro de mercadoria ligeiro. Acredito que tenha alguma formação académica. Mas à primeira vista, o valor que ele tem aparenta ser só o de uma postura de quem confia em si mesmo e um à vontade para social a condizer. E estão juntos desde que me lembro.

        2. “O “game” funciona uma espécie de empurrão para aqueles que já possuem determinados atributos fundamentais como o dinheiro, looks, sucesso académico/profissional,”

          Nunca tive nada disso… Bem tenho a vantagem de parecer mais novo. E no entanto… É ler a entrevista!

  1. O user Bimbaum é o homem Houellebecqiano: tem valor no universo social, não tem valor no universo sexual
    (Grande texto)

  2. Há uma classe de gaja que vai responder perfeitamente ao estereotipo modelado pela Disney/Contos de fada: A Alfa-widow.

    Também vai ser adultera.

  3. O que é engraçado é que alguns gajos do chupa.mos parecem perceber da poda e provavelmente até sacam. Mas são tão quadrados que devem pensar que qualquer gajo que não puxe ferro não fode.

    1. Ao mesmo tempo eles têm razão numa cena – no PUA descura-se um bocado o físico. Um erro que a Red Pill não comete – o primeiro conselho que se dá é “vai puxar ferro”

      1. No meu entender, e daquilo também que pude ler, cultivam-se muitas ilusões no Pua. Há medida que os “Não” se somam uns atrás de outros pode dar-se aso a mais pessimismo e desconfiança…

        1. Pode… Principalmente se um gajo estiver isolado e sem com quem falar. Se estiver numa Comunidade (como já foi referido aqui) um tipo conta um problema pontual que tenha e tem logo uma data de sugestões e de “isso já me aconteceu e dei a volta com…” ou “anda comigo e vemos isso” (Porque ás vezes é mesmo só questão de ver como ele faz para se perceber um erro ou uma dificuldade)
          Vantagens da espécie que inventou a fala…

  4. Tony Montana, o problema aqui está em “o que pude ler”. Opiniões de terceiros que provavelmente nunca experimentaram fazer game…

    Nos meus anos de pua, posso-te dizer que os únicos gajos que não sacaram gajas foram: 1) aqueles que só liam e nunca vinham sair com a malta para o terreno 2) aqueles que apareceram uma ou duas vezes na rua augusta ou no bairro alto, e somaram alguns “não” que os fizeram desistir e nunca mais voltar.

    Ambos os casos são gajos com egos extremamente frágeis, ao mínimo contratempo desistem de tudo, os primeiros são tão mansos que nem sequer querem por a hipóteses de serem rejeitados porque não aguentam. E os segundos são gajos que com meia dúzia de resultados negativos com gajas vão abaixo. Em comum, ambos têm a mesma mentalidade fraca que vai buscar n desculpas para os insucessos com mulheres. “só fodem milionários” “só fodem gajos com six packs “… nossa senhora …. há tantos gajos gordos que safam montes de gajas… tantos gajos pobres que fodem montes de gajas ( inclusive na rua porque vivem em casa dos pais)…

    1. Opino o mesmo.
      O Tony Montana pode ter razão em relação aos gurus – malta que quer vender um produto “milagroso”, e a quem falar a verdade sobre um gajo pôr-se em forma, organizar a sua vida etc só prejudica o negócio.
      Agora, nas comunidades? A malta é bastante realista e das primeiras coisas que se diz aos novatos é para se arranjarem como deve ser e resolver os problemas logísticos (casa, carro, dinheiro) que tenham – e alternativas caso isso não seja exequível a curto prazo.

  5. esteroides anabolizantes e mostrar sinais de riqueza são os melhores truques de seduçao

    eu não sacava nada quando era frango, mas à medida que fui ficando grande elas passaram a vir ter comigo

      1. Pois, o grande problema que vejo é a continuidade. Especialmente se tiveres alguma lesão e deixares de poder puxar ferro. O Game funciona qualquer que seja a tua condição física, desde que consigas falar….

        E mesmo que não – O Patriarca já viu um mudo a deixar uma gaja pelo beicinho com gestos (não linguagem gestual) e mensagens no telemóvel.

  6. pua Portugal , o fórum onde não há respeito pela opinião diferente , quem tinha essas opiniões diferentes era tratado como um “doente” até ser banido porque outras personagens iam fazer queixinhas aos mods/admins do estilo “ou ele ou eu”…abraço

    1. Principalmente quando essa opinião é só para trolar (e para gozar!) com quem lé esta!| Manolas, se não gostas não vás! (nem inventes mais users falsos!)
      A mim a coleção de selos não me diz nada, mas não vou para um fórum de colecionadores dizer que os gajos são parvos e que deviam fazer outra coisa que não juntar papelinhos estampados. Principalmente porque… TENHO MAIS QUE FAZER E TENHO VIDA PROPRIA!!!

      MM

  7. Respondendo efectivamente ao artigo, li tudo mas não concordo nada. Para mim, looks e dinheiro não são o mais importante. São fundamentais, mesmo.
    Se eu for um atado sem dinheiro e looks sou um atado. Se for um atado musculado e com dinheiro (principalmente com dinheiro) já passo a ser enigmático /misterioso…vocês sabem onde quero chegar.

  8. Eu sou um gajo reservado, a minha vida começa-se a endireitar no fim deste ano.

    Não sei como vai ser quando tiver a minha independência, se vou andar a comer meio mundo ou se vou assentar logo mas provavelmente vou assentar logo dada a minha forma de ser.

    Considero-me um gajo bastante inteligente, não sou nenhum crânio mas considero-me mais inteligente que a média, por exemplo gosto da bolsa / mercados financeiros.

    Como sei que a minha forma de ser não tem muito a ver com a maioria das gajas que por ai andam terei de arranjar algo que me ajude.

    Ora na sociedade de consumo em que vivemos nada melhor que o carro certo.

    Pretendo arranjar por 12 000 euros um bmw 330i e46 cabrio, pintá-lo de branco e meter-lhe umas jantes vistosas de 18 polegadas.

    Descapotáveis não são para mim mas tendo em conta o meu caso lá terá de ser para conseguir o máximo cenário possivel, pelo menos tem um motor que adoro, não posso dizer que me esteja a sacrificar muito pelas gajas, o que seria um bocado triste.

    Se calhar até estou… lol

    1. Mário, não contes com isso nem ponhas todos os ovos no mesmo saco. Quando comecei a trabalhar aqui há uns anos, com a ajuda dos meus pais comprei também um E46 espetacular que dava nas vistas. Reparei logo que a maioria das gajas do trabalho olhava para o carro e para mim com mais atenção. 5 anos depois, ainda não tinha conseguido nem uma. Foi aí que me juntei ao PU. Na primeira gaja que comi após algumas noções de PU, sim, usei o carro como muleta/demonstração de valor e ela gostou. Para a segunda gaja já não precisei de carro nenhum.
      O carro pode contribuir para o sucesso mas é apenas uma pequena contribuição. As que darão maior contribuição serão a tua confiança, atitude, conversa/humor, emoção que crias na vida dela.
      Além disso com o cenário que estás a criar (BMW da geração passada com jantes grandes, com um zé do boné de calças rotas e tatuagens), que tipo de gajas vais atrair? Eu digo-te, barraqueiras do gueto que andam com os gunas e mitras.
      Todas as outras de outros generos nem irão considerar-te um potencial parceiro. Com isso descartas 80% das mulheres de outros géneros.

    2. Ah, e para as gajas, terias um BMW branco descapotavel. Elas não sabem nem querem saber a diferença entre um 330i e um 1.0. Portanto poderias escolher um racional 320cd.

  9. Ainda estou na dúvida se faço tatuagens e passo a andar de calças com uns rasgos soft e sempre de cap na cabeça… não é nada o meu género mas para comer umas ratinhas fazia esse sacrificio.

    Só não sou capaz de usar piercings ou brincos, é esse o meu limite.

  10. Sou reservado mas não me considero totó… eu exijo respeito da gaja que me quiser.

    Sou é incapaz de fazer certas coisas como dançar numa discoteca. LOL

    Não sei nem tenho nenhum interesse em aprender.

    1. Esse plano é uma parvoíce.

      Eu tenho um carro de merda. Nunca me prejudicou a sacar gajas. Até porque para dates costumava ir de transportes ou ficar perto de casa.

      Fazer merdas e gastar dinheiro em cenas que não te dizem nada, para teres ganhos marginais em gajedo, e ainda por cima aumentando a probabilidade de atrair barraqueiras…

      Eu não gosto de gajas com tatuagens e as gajas com tatuagens não gostam de mim. Só comi uma gaja tatuada, e só descobri quando a estava a comer de 4 e vi o tramp stamp.

  11. Eu gostava de aceder a gajas de elite porque penso vir a ganhar bem com a minha profissão de comerciante de carros como particular mas já vi que as cenas que vou fazer vão é funcionar ao contrário. LOL

  12. Se fores bonito e rico arranjas na boa.
    Caso não sejas, ou tens sorte em arrastar uma gorda feiosa que mais ninguém quer ou então acabas sozinho.

  13. Caro Mário, é a verdade.
    Ou sobressais no requisito do aspecto exterior e, sobretudo, no âmbito financeiro, ou então nem vale a pena.
    Só quem está acima da média é que possui algum “poder” no jogo e na escolha.
    Quem não está, anda ao sabor do vento ou das opções das tipas que sobram e/ou que ninguém pega. E mesmo essas possuem um Ego do tamanho do mundo.
    Acima de tudo perceber que elas é que mandam, não vale a pena andares com tangas a pensar que as levas com lábia ou joguinhos da treta de palavras, porque se não bateres a notinha e não fores da “cena” com tattoos, cheio de esteroides, etc, não és opção.

    1. Meia verdade. Se não tiveres Game (natural ou aprendido) estás à mercê de tudo isso.
      O Game por seu lado é tanto mais potente quanto mais forte fores nessas vertentes.
      Mas bom Game vence dinheiro e aspecto sem game.

  14. De que é que adianta saber alguma coisa de Game se depois um gajo se parece com o Frank Ribery e tem um emprego humilde?
    E depois ver gajos com aspecto e dinheiro a arrastar as tipas todas sem fazerem nada, bastando a alguns apenas aparecer?

Deixar uma resposta